sábado, 28 de setembro de 2013
Dessa vez vou te deixar ir mas meu sentimento irá além do sentir; qualquer lembrança agora me impede de agir, sorrir, não vou mentir. Nossos melhores momentos não foram os melhores momentos, mas se tinha que ser assim eu te entendo, porque no dia que meu pai se sentou comigo me revelou caminhos que sigo, agi na emoção, sem hipótese de seguir instinto, hoje eu me relembro. Tantas coisas que vem e que vão em um flash de lembranças, são capazes de aniquilarem qualquer tipo de esperança. Sem chance alguma! Meu coração tem apelido de imensa lacuna, e pra ser realmente sincera essa é minha preferencia, se essa bosta toda aconteceu é culpa da minha insistência, paciência. Acaba assim, volto a me sentir um feto mas minha felicidade não durou, então meu sofrimento também não é eterno.
sábado, 21 de setembro de 2013
Não deu muito certo! (...) fazendo assim, querer redigir a nova fase da minha vida, na qual a seriedade invade meu coração, afastando pessoas de mim e impedindo de conhecer pessoas novas - o que também nunca diferenciou em nada -. A nova fase da minha vida passa de submissa apaixonada à namorada de um príncipe, mas dessa vez é o verdadeiro. Claro que eu não sei se ele é o que terei pra sempre em minha vida - nem sei se terei um eterno na minha vida -, nem sei se ele é mesmo um príncipe. Achismo apenas! Me disseram que a força do pensamento pode mover montanhas, ou não. Ou sim. Digo, a nova fase da minha vida é movida por senso dedutivo, ou não. Ou sim. Perceberam que não é um texto muito explicativo não é? Essa nova fase da minha vida é completamente de todas as outras que já passei e eu não tenho ideia de como lidar. Sei que quero acertar dessa vez, depois de ter quase morrido de amor. Você nunca irá precisar fazer pedidos pois tudo terá, pois minhas necessidades você supre, diferente de tantos que já passaram por aqui, e fique. W., você é minha segunda chance e eu peço que seja a última.
Texto modificado, "Tumblr" da dona. (20 de março de 2013)
Estava chovendo e escuro, nublado e frio como meu coração antes da sua chegada. Ano após ano, levava uma vida insignificante, sem sonhos, metas, nada pra lutar... sorrir? Só se for por algum motivo idiota, desgraça alheia. E hoje você me tem por inteira; beijos, abraços, carinhos, sorrisos e tudo, entende? De uma flor murcha, tu me transformaste em um copo-de-leite do mais belo, de ser como a noite, me fez clara e limpa, assim como o dia, e a claridade que inunda meu coração é vermelho, de sangue, de coração que pulsa por você sem cessar. Um brinde aos sorrisos, lágrimas, felicidade, à nós, à você, à mim. Só peço que nunca esqueça porque é verdadeiro. Comigo você fica e comigo você vai. Te protejo do escuro e prometo estar com você. O que vi em você definitivamente não sei, mas algo estranho acontece porque eu não consigo parar de pensar em você, tudo me lembra você, nunca imaginei que isso me faria bem, nunca vi em ninguém, mas do jeito que você soa palavras deleitáveis ao meu ouvido sinto aquilo chamado de 'amor'. Sou sua amiga também, obrigada por combinar em tudo, até na marra. Te dou refúgio. Nossas mil trilhas sonoras ainda não são o suficiente pra explicar o que eu sinto, nem meus mil textos, nem monólogos, nada, agora entendo o que é gostar de verdade. Obrigada Deus, obrigada cupido.
Texto postado em 11 de Junho 2012 às 8:34pm pela dona do blog em seu "Tumblr" particular.
Passei todos os momentos da minha vida até hoje escrevendo. Escrevendo sobre, meu dia a dia; eu escrevia o que havia em meus pensamentos, aquilo que dominava minha mente era irresistível à colocar em um papel. Não sei o porque mas sempre me expressei com palavras. "Todo mundo precisa de algo pra expressar-se." Já relatei de nada à tudo, de tudo à nada, mas sinto hoje, a vontade de falar sobre 'amor'. Por isso vou falar de uma história, que eu conheço de trás pra frente, literalmente. A história começa em dias frios, mês de junho. Acho que assim como o inverno, eu também estava fria. Peço-lhe perdão por todos os erros que cometi à ti e todos que posso cometer. "Jesus perdoou porque amou." Não estou aqui pra falar de traições, brigas, enfermos e infortúnios. Mas para poder relatar daquilo que sinto. Me expresso tanto em escrita que talvez saiba de todos os meus pensamentos, mas quero atualizar e os re-relatar. porque não é alienação minha dizer que tu, meu exímio, foi o melhor acontecimento de minha vida, e eu jamais vou deixar você ir embora, petiz. De veras, é bom demais estar ao teu lado. Nós nos conhecemos e nos tornamos um só em um tempo relativamente muito curto. Nós nos respeitamos, passamos por momentos chatos, confusos, de lágrimas, e raríssimos de minímas discussões, mas comparados com aqueles nossos momentos maravilhosos que me dão brilho nos olhos só de lembrar, não são absolutamente nada. Ciúmes que chegam ser até mesmo ‘obsessivos’ - não tão exageradamente - faz parte de um namoro assim como o nosso. Rir, rir, rir e rir da minha cara, da sua cara, das nossas caras. Do seu jeito largado de andar e o meu categórico-desastroso. Minha honestidade se limita. Não nego abundâncias, mas minha humildade vem de aceitar o fato de eu ser completamente sua!
Texto redigido pela autora do blog, postado em 28 de maio de 2012 em seu "Tumblr" particular.
quinta-feira, 19 de setembro de 2013
Eu não queria que Ele me visse assim... meus olhos acordaram inchados de tanto que chorei enquanto todos estavam dormindo. O sono amenizou minha dor, mas de manhã não sinto vontade de ver a luz do dia. Não, não foi alguém que morreu, mas algo que morreu dentro de mim. Morreu dentro de mim a vontade de conviver com outras pessoas, morreu dentro de mim a paz. Sou eu quem crio os problemas em todo mundo, eu levo discórdia, eu levo inimizade e trago o ar da perversidade. Hoje eu já parti; matei-me durante um delírio. Se eu pudesse voltar naquele mês em que as coisas começaram a dar errado, eu fortaleceria meus laços com Deus e não me jogaria no chão arrependida. Me sujei de droga e bebida, e esqueci que diariamente meu Pai maior estava ao meu lado derrubando lágrimas. A chuva que caiam era a decepção que Ele tinha comigo. Dizem que os que se matam não merecem o Reino dos Céus, mas os arrependidos sim, meu pai me acolheu de braços abertos... mas, eu não queria que Ele me visse assim. Eu gostaria de voltar e reforçar meu amor com Ele, pois Ele quem me restou. Deixo essa mensagem para aqueles que não sabem, mas o único que permanecerá é o meu, seu e nosso Senhor.
terça-feira, 17 de setembro de 2013
Ela começou beijando meu pescoço e eu queria que a vaca me poupasse das preliminares, mas eu amo o que ela faz, por isso puxo o cabelo dela com tanta força, pra ela saber que eu estou gostando. Eu chamo-a de minha cadela e ela adora. "Vadia, nosso romance é louco!" E ela dá tapas na minha cara e me joga na cama, voltamos à fazer o que mais gostamos... Não importa o dia, eu sempre vou até a casa dela ou ela vem à minha, e passamos horas juntos. Ela é uma mulher forte, outra não aguentaria tanta pressão. Eu sou um cara, que, sinceramente, não dou valor a qualquer vagabunda, mas essa me conquista fácil. Nas noites chuvosas é quando mais nos divertimos, mas isso não faz com que as noites de calor intenso não peguem mais fogo. Ela é linda, e sua bunda é mais ainda. Às vezes me diz coisas estranhas, fala que deseja ter filhos comigo e eu à mando calar a boca, mas quando chega em casa eu imagino como seria. Ela me agride como se estivesse quebrando ovos, então eu à seguro e a jogo no chão; ela chora, fazemos amor em seguida e isso se repete toda vez que brigamos. Eu à desejo mais do que qualquer coisa. Temos quase um ano de sei lá o que... essa safada diz para as amigas que é um namoro, é, é quase isso. Eu a traiu com qualquer uma, ela é infiel também. Mas nosso lance é sério, toda noite eu marco de transar com ela. Mas certo dia, a cachorra se mandou. Disse que estava cansada dessa merda toda, chorou. Eu peguei-a pelo braço e iria beija-lá, quando ela empurrou-me e cuspiu no meu rosto. Enlouqueci e peguei minha walther palm pistol - que sempre estava em minha cintura -, apontei pra cabeça dela e disse: "Gata, para com essa merda, tua vida é essa aqui, você é minha." "Abaixa essa p-rra, desgraçado! Não ando na sua gang, não vem querer me amedrontar com seu brinquedinho." A desgraçada me enchia de tesão toda vez que saia alguma bosta de sua boca. Abaixei a arma, e falei que não existia motivo pra sua saída, mas ela me falou alguns palavrões e disse pra mim que era melhor que eu não a procura-se. Me falou que queria valor e eu dei risada, assim que fiz isso, mais lágrimas cairam do seu rosto e saiu correndo pra fora. Vadia louca, não sou obrigado a segurar esses ataques. Mas quando pensei que ela realmente poderia ter ido embora, apontei a arma em direção a minha cabeça. Liguei pra ela e a vagabunda não me atendia, fui até sua residencia e sempre parecia que não havia ninguém. Eu tinha quase certeza de que ela estava escondida lá dentro. Quase certeza. Fiquei um impressionado quando ela não veio na minha casa no dia seguinte. Tinha feito um mês que a cachorra tinha se mandado. Sai com os crioulos do meu bairro e me sujei com aquelas merdas mais do que nunca, até os manos, mandavam eu amenizar. Mandava-os se calarem, porque eu sabia cuidar da minha vida. Em um mês sem ela já tava devendo pra cara-ho pra muito dono de boca, e eles vieram atrás de mim. Eu ia ser preso se voltasse a roubar, estava na minha condicional. Os desgraçados me encurralaram num beco nojento, e me deram 5 tiros, sendo que só 2 me acertaram, fingi de morto por um tempo, até que fosse embora e depois desmaiei. Acordei com tontura num lugar que de cara já vi ser um hospital, olhei pro lado e lá eu à vi. Desmaiei de novo. Todos os dias eu à via no hospital numa cadeira dura do meu lado, conversava com ela todas as noites que eu ficava consciente, planejávamos como seria longe daqui (já que teria gente pensando em acabar o serviço). Depois que a louca salvou minha, sabe Deus como me encontrou, passei a respeitá-la. "Gata, obrigado." Eu realmente era agradecido à ela. "Vamos sair fora e aí eu penso nessa merda todo que você sempre me falava". Ela acreditava em cada merda que saia da minha boca, mesmo eu já tendo fod-do com ela tantas vezes. Não é a primeira vez que a cachorra me salva... A gente estava escondido em um barraco pequeno, até ter dinheiro pra sair do país, mas algum verme contou aonde nós estávamos abrigados. Então, certo dia, quando eu estava fora, minha dona percebeu uma movimentação e ela já sabia o que haveria de acontecer, não teria jeito. Ela sabia o que caminho que eu fazia, e um pouco perto de casa, em um caminho mais longo que eu sempre passava para não ser visto havia uma carta com meu nome colada numa parede. Vadia burra, molhou o papel com tanta lágrima que foi impossível ler, mas eu pude sentir cada linha escrita. Ela não era disso, eu tive um pressentimento mal e fui o mais rápido possível de encontro à ela. A porta já estava aberta, vi que tinha dado merda. Vi ela jogada no chão com tiro por todo corpo. Quando não me acharam bateram nela com muita força até que falasse aonde eu esta, quando finalmente ela falou, mas falou que eu estava morto, os desgraçados não acreditaram mas brincaram com a vida dela, falaram que se eu estou morto, ela também deve ficar. E quanto mais ela gritava de dor, mais tiros ela levava, e eu chorava como mulherzinha enquanto um noia me contava por 10 reais. Ela era uma mulher forte, outra não aguentaria a pressão. Entrei no barraco, peguei minha pistola e atirei na minha própria boca. Cai ao lado dela. Nosso sangue se misturava no chão... vagabunda burra, devia ter se salvado, morreu por mim. Eu não vou deixar esses safados me matarem, quando eu estava no hospital prometi morrer do teu lado.
Olá, meu nome provavelmente já foi visto por você, mas quando dirigir-se à mim por favor me chame apenas de "Gê" - fácil compreensão, ajuda do acento na pronúncia e fácil memorização -, não seja formal, moramos em um país livre. Hoje eu tenho 16 anos 1 mês e 21 dias, nascida em 97, meu aniversário é dia 27/07. Parda, pele morena bem clara, baixa e descolorida. Sou do signo de leão e não acredito em horóscopos. Natural de São Paulo vinda de uma família que mistura Pernambuco com Minas Gerais. Apaixonada por letras, músicas e um pouco de poesia. Sou sem-vergonha, ou seja, normalmente a timidez não faz parte de mim; piadista, sarcástica e me altero com facilidade. Sou uma simpatizante de piercing e tatuagens, e tenho ambos. Namoro. Sou batista, aberta à compreensão de outra religiões e extremamente louca, e terei certeza que iram perceber. PRAZER! Tudo será meio louco enquanto eu não aprender à usar isso aqui direito, então perdoem-me, sinceramente. ♡

Seguidores

Fan Page

Siga por e-mail

Instagram

Contagem

Tags

Páginas

Categorias

Tecnologia do Blogger.

Minha lista de blogs